Topo
Extraordinárias

Extraordinárias

6 motivos para fazer CrossFit - mesmo se você estiver na terceira idade

Débora Miranda

2003-08-20T18:08:00

03/08/2018 08h00

Quando eu pensava em CrossFit, me vinha à mente aquelas mulheres fortes, musculosas, levantando pesos imensos. E só de imaginar já sentia minhas costas doerem. Sempre achei uma modalidade excessivamente pesada e suspeitava que as pessoas se machucavam demais fazendo aquilo tudo. Ao mesmo tempo me questionava: como pode uma atividade assim ter tantos seguidores apaixonados?

E foi aí que eu resolvi deixar de lado todos os meus preconceitos e procurar pessoas que treinam CrossFit para saber realmente do que se trata. E descobri que, sim, tem muitas mulheres fortes e musculosas arrasando no levantamento de peso, mas é muito mais do que isso. Considerado um exercício completo, é capaz de transformar em pouco tempo a parte estética e também a saúde.

Para quem não sabe do que se trata, Ana Claudia Martins, estudante de educação física e dona do box (como são chamadas as academias) Trezera, em Praia Grande, explica: "São exercícios funcionais de alta intensidade, que trabalham todos os músculos. Exercícios de ginástica e de levantamento de peso".

Um treino de CrossFit é formado por três etapas. "Primeiro tem um aquecimento, que pode ser corrida, polichinelo, flexão, barras, ou algo assim. Depois, vem a parte chamada "skill", em que você treina algum exercício específico. A terceira parte é o "wod", geralmente uma sequência de exercícios que você tem que fazer em determinado tempo. Mas tem vários tipos", explica Nayara Brischi, 22 anos, estudante, que faz CrossFit há um ano e meio.

"E aí acaba o treino, ainda bem, porque a essa altura já está todo o mundo morrendo", diverte-se. Criado pelo americano Greg Glassman, o CrossFit tem muito termos em inglês. O "wod", por exemplo, é uma sigla para "work out of the day", ou treino do dia. "É o ápice do treino, você tem que dar tudo de si, basicamente. Mesmo o pessoal que treina há mil anos fica cansado", completa Nayara.

Ana Claudia largou o direito para abrir seu box de CrossFit (Fotos e Resenhas)

Mas é importante desmistificar alguns pontos com relação ao CrossFit, e o principal deles tem a ver com as lesões. "Existe esse mito de que o CrossFit lesiona, mas, na lista de estatísticas, esportes como o futebol e o basquete aparecem antes", diz Ana Claudia. "O que é preciso em aula é ter o acompanhamento de um bom profissional, que se concentre em técnica e em postura."

A modalidade conquistou famosas, como Giovanna Antonelli e Bruna Marquezine, que já apareceram suando em bicas durante os treinos. Veja, abaixo, seis motivos que fazem do CrossFit o queridinho das mulheres.

Desafiador

É consenso entre os praticantes que o CrossFit é muito desafiador e, conforme você vai melhorando, se fortalecendo, se superando e conseguindo realizar exercícios que antes pareciam impossíveis, mais dá vontade de continuar. "Como eu moro na praia, sempre pratiquei esporte, jogava handebol, vôlei. Sempre fiz musculação. Tenho preocupação com o corpo. Mas o que me motivou a fazer crossfit é que é muito desafiador", conta Ana Claudia. Formada em direito e "concurseira", ela se apaixonou tanto pela modalidade que largou tudo, mudou de vida e resolveu viver de CrossFit, abrindo seu próprio box.

Musculação é chata, CrossFit é legal

Tem gosto para tudo, mas grande parte dos praticantes de CrossFit faziam musculação antes e dizem que a modalidade é bastante tediosa em comparação ao que é ensinado nos boxes. "Achei o CrossFit superinteressante. Fiz musculação até o ano passado. Você vai lá, faz braço, faz perna. Coisa chata! No CrossFit, não. Eu vou para a aula e não sei o que vou fazer naquele dia", conta Ivone Gagliardo, 76 anos, que começou há quatro meses no CrossFit com as amigas do curso de francês, todas da terceira idade.

A partir da esquerda: Rose, 66 anos; Ivone, 76 anos; Marilourdes, 69 anos; e Ana Maria, 55 anos; amigas que fazem CrossFit juntas (Arquivo Pessoal)

Nayara destaca que também não gostava muito do clima das academias de musculação. "Lugares com muito homem podem ser meio desagradáveis, às vezes. Rolam muitos comentários machistas. O que eu senti no CrossFit, pelo menos onde eu treino, é que não tem tanto isso quanto tinha na academia."

Exercício completo

O CrossFit mexe com todos os músculos do corpo.  "São exercícios que exigem bastante do corpo todo, melhoram a coordenação, o equilíbrio, dão bem-estar. Estou gostando muito", confirma Ivone.

Ana Claudia completa: "O CrossFit não é força, é capacidade física. Você fica forte, mas também fica veloz, cria resistência, desenvolve alongamento, potência. A gente trabalha tudo junto. É muito mais do que apenas força".

Emagrece e define

O CrossFit é bastante eficaz em um dos principais pedidos das mulheres quando se trata de exercícios físicos: o emagrecimento. "Fazia balé desde pequena, fiz ginástica olímpica, natação e muita academia. Sou magra, mas procuro sempre estar em forma. Desde que comecei o CrossFit, ganhei muita massa magra e fiquei mais definida. Ganhei massa muscular, força e controle corporal. E sinto que tenho mais disposição", conta Nayara, que está conciliando os treinos com pole dance.

Nayara Brischi conta que ganhou força e controle corporal com o CrossFit (Reprodução/Instagram)

Ana Claudia confirma: "Eu achava que tinha um corpo legal, mas, com o treino, percebi que fui perdendo gordura. Eu era magra, mas não tinha saúde. Como eu treino pesado, para competição, hoje meu corpo está mais definido. Minhas costas são mais largas, meu bíceps é um pouco grande. Mas isso não é padrão. Cada um faz o treino voltado para o que quer". Segundo ela, em um mês, um aluno novo consegue entrar no ritmo do CrossFit. "Nos primeiros 15 dias, a pessoa normalmente tem muita dor muscular e acha que não vai conseguir. Mas um mês é suficiente."

Todas as idades

Desde que com o acompanhamento de um profissional, o CrossFit pode ser praticado por pessoas de todas as idades. Ivone Gagliardo, 76 anos, é prova disso. "Nós somos em quatro lá na academia, todas da terceira idade. Fazemos juntas curso de francês, e a gente vai mais para se divertir mesmo. Mas claro que tem os benefícios físicos e até mentais."

No entanto, ela diz que, em Sorocaba, onde vive, no interior de São Paulo, essa é a única academia que recebe alunos com mais de 50 anos. "Precisa ter um coach que saiba lidar com o nosso organismo. Porque nós fazemos os mesmos exercícios que todo o mundo, mas a carga de peso é diferente. Nós fazemos as mesmas técnicas, e é isso que eu acho legal. Eu não tenho a mesma força, mas eu tenho a mesma técnica que os outros alunos."

Mente forte

Ana Claudia conta que começou a fazer CrossFit como uma válvula de escape, na época em que estudava para concursos. "Com o tempo, percebi que eu queria ficar mais no box do que no cursinho. Foi um negócio meio louco, porque o CrossFit te deixa muito forte mentalmente. E não só de corpo. Foi quando decidi mudar de vida."

 

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Sobre a autora

Débora Miranda é jornalista e editora do jornal Agora São Paulo. Apaixonada por cultura. Acredita no poder transformador do esporte. Ginástica olímpica na infância. Pilates, corrida e krav maga na vida adulta. Futebol desde sempre. Corinthians até o fim.

Sobre o blog

Espaço para as histórias das mulheres no esporte, mostrando como a atividade física pode transformar vidas e o mundo. A ideia é reunir depoimentos sobre determinação, superação e empoderamento. Acima de tudo, motivar umas às outras. Vamos juntas?